Novas perspectivas de qualidade de vida para pacientes com urticária!

O novo guideline sobre urticária foi publicado no journal Allergy (2018) e se baseou em evidências e consensos  desenvolvidos seguindo os métodos recomendados pela Cochrane e pela classificação do nível de evidência científica do sistema GRADE (Grading of Recommendations, Assessment, Development and Evaluation).

Foi uma iniciativa conjunta da Seção de Dermatologia da Academia Europeia de Alergologia e Imunologia Clínica (EAACI), da Rede Europeia de Alergia Global e Asma (GA²LEN), o Fórum Europeu de Dermatologia (EDF) e a Organização Mundial de Alergia (WAO), com a participação de 48 delegados de 42 sociedades nacionais e internacionais,  incluindo as brasileiras Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI).

A grande mudança neste novo consenso está no uso das medicações, em especial do imunobiológico omalizumabe. O consenso manteve o uso de anti-histamínicos como ponto de partida do tratamento, assim como a elevação das doses em até quatro vezes, de acordo com a resposta do paciente e o efetivo controle da doença. O que muda agora é que, para os casos de urticária crônica não responsiva aos tratamentos convencionais, pode-se recorrer ao imunobiológico omalizumabe.

Com a chegada do novo guideline, o uso de omalizumabe passa a ser uma opção terapêutica nos casos de urticárias crônicas refratárias aos tratamentos.

O novo Guideline de Urticária é um dos temas discutidos no evento Brazilian and 5CC Summer Meeting of Dermatology em novembro de 2019 – São Paulo.

Bibliografia consultada

  1. Zuberbier T, Aberer W, Asero R et al. The EAACI/GA²LEN/EDF/WAO Guideline for the Definition, Classification, Diagnosis and Management of Urticaria. Allergy. 2018 , 73(7):1393-1414.
  2. Kaplan AP. Therapy of chronic urticaria: a simple, modern approach. Ann Allergy Asthma Immunol. 2014 May;112(5):419-25.
  3. Kolkhir, P et al. Management of chronic spontaneous urticaria: a worldwide perspective. World Allergy Organization Journal, 2018, 11:14